Está aqui

Últimos comentários

  • Raquel comentou a entrada "Lançamento de livro infantil inovador" à 13 anos 1 mês atrás

    Claudia, há uma biblioteca no Mandaqui - SP que disponibiliza livros em braile, inclusive infantis. É a biblioteca Pedro da Silva Nava. Fica na R. Engenheiro Caetano Alvares, 5903.

  • tiago duarte comentou a entrada "Preconceito ainda afecta muitos deficientes visuais" à 13 anos 1 mês atrás

    Gostei muito de ler a parte do livro disponibilizado pela Alexandra Caracol cujo títullo é "Educar é amar". Esse livro existe digitalizado? Gostaria muito de o ler. obrigado.

  • elizabet comentou a entrada "Brasil - Projeto de Lei classifica cegos de um olho como deficientes visuais" à 13 anos 1 mês atrás

    Este projeto é um dos artifícios para remediar uma questão mais complexa que diz respeito às políticas de geração de emprego e renda. A condição de deficiência gera cotas de emprego e as cotas geram novas deficiências para a disputa de vagas. Neste jogo de cotas, evidenciam-se deficiências estruturais em uma sociedade que se pretende inclusiva...

    Elizabet Dias de Sá
    Psicóloga e Educadora

  • elizabet comentou a entrada "Senado lança livro e entrega publicação em braile" à 13 anos 1 mês atrás

    A matéria não esclarece por que a publicação em braille será entregue apenas a entidades do Rio Grande do Sul. Se o Senado é federal e existem tantas e quantas instituições a área da deficiência visual, como se explica esta opção?

    Os Centros de Apoio Pedagógico aos Deficientes Visuais, por exemplo, não deveriam receber tais publicações?

    Elizabet Dias de Sá
    Gerente de Coordenação do CAP-BH

  • Alexandra Caracol comentou a entrada "Preconceito ainda afecta muitos deficientes visuais" à 13 anos 1 mês atrás

    É importante tratar cada pessoa com a dignidade a que tem direito independentemente da cor, religião, escolaridade, ou diferenças.

    Antes de tudo somos seres humanos que sentimos necessidade de ser aceites e amados.

    O meu propósito é dar a conhecer o meu trabalho esperançada de através dele se possa ajudar as pessoas a encontrarem a sua paz interior e por consequência viverem felizes.

    Sugiro que visitem

    http://violada_mas_nao_vencida.blogs.sapo.pt/

  • anónimo comentou a entrada "Alterações fiscais - comunicado da Associação Portuguesa de Deficientes" à 13 anos 1 mês atrás

    Sou um deficiente com elevado grau de incapacidade.

    Tenho sido capaz de manter uma profissão muito activa contribuindo de forma significativa para as contas do estado em termos de impostos nomeadamente IRS.

    Observo diariamente as dificuldades que os cidadãos comuns encontram em termos de acessibilidades físicas ou de cuidados de saúde. Essas dificuldades são obviamente exponenciadas de modo a tornarem-se verdadeiras barreiras para muitos deficientes.

    Um deficiente é alguém cuja força de vontade é posta à prova diariamente nos mais simples gestos quotidianos.

    Um deficiente é alguém que valoriza os cuidados de saúde crónicos porque sabe que são essenciais à melhoria ou à não deterioração da sua condição. Um deficiente depende pois da prestação de cuidados regulares e gasta grande parte do seu orçamento de modo directa ou indirectamente relacionado com os mesmos.

    Por alguma razão o termo anglo-saxónico politicamente correcto para deficiente físico ou mental é cidadão com desafios físicos ou mentais. Em Portugal poderíamos acrescentar: cidadão com desafios económicos.

    A garantia da não-discriminação passa obviamente por não penalizar os deficientes, que são exactamente aqueles que têm de vencer diariamente maiores desafios.

    Considero insultuosa a proposta injustificada de aumentar os impostos dos cidadãos com deficiência em sede de IRS. Esta proposta merece e bem a firme oposição desta associação.

    Sugiro a mobilização geral e urgente dos deficientes para defesa dos seus direitos.

  • Cristiana comentou a entrada "Jogos de computador para cegos" à 13 anos 1 mês atrás

    Cristiana M. C. Acompanhando as discussões sobre jogos acessíveis, notei que existem muitos jogos que não são propriamente didáticos. Gostaria de saber se existem jogos com objetivos educacionais (palavras cruzadas, jogo da forca, caça-palavras) acessíveis ao deficiente visual. Refiro-me a jogos criados sem focar especificamente no deficiente visual. O Dosvox/Winvox tem o jogo da forca, que foi criado especificamente para ser jogado por dvs. Obrigada.

  • Cláudia Lopes comentou a entrada "Lançamento de livro infantil inovador" à 13 anos 1 mês atrás

    Gostaria de saber onde posso adquirir esses livros infantis em braille.
    Obrigada Cláudia lopes

  • MARCOS ANTONIO RIBEIRO comentou a entrada "Três dias para ver" à 13 anos 1 mês atrás

    Estou simplesmente pasmo,com está história, que mulher incrível, na época que viveu sendo surda-cega e consegui estudar e realizar tantas coisas.

    Sou instrutor de libras ( não sou surdo), e recentimente estava ministrando um curso básico de libras para os funcionários da infraero, e mostrei este texto. Todos ficaram paralizados com a lição de vida de helen, me falaram que tem um filme sobre sua vida é verdade?

    Quem me apresentou o site lerparaver foi um amigo deficiente visual, gostei muito do site estão de parabéns.

    Que o senhor jesus abençoe cada pessoa envolvida neste projeto.
    E que vcs continuem promovendo a acessibilidade.
    Até a proxima.

    Marcos
    recife-pe

  • cristina miguel comentou a entrada "Manuais digitais adaptados ajudam o estudo de cerca de 50 alunos cegos" à 13 anos 2 meses atrás

    Como responsável pela produção dos manuais escolares daisy venho clarificar a notícia apresentada pelo vosso sítio. Como é referido na parte final da notícia a produção é da responsabilidade do Ministério da Educação, e não da Porto Editora. Esta editora fornece os textos e as imagens constantes em cada manual. A Electrosertec, a empresa que realiza todo o trabalho técnico de produção dos Cds (sincronismo texto, voz, imagens e respectivas adaptações)trabalha em estrita cooperação e cordenação com o ME que supervisiona técnica e pedagógicamente os manuais escolares neste formato inovador no nosso país. A Fundação Vodafone Portugal financia o projecto.
    Sendo um projecto muito aliciante e muito absorvente, que requer muito trabalho e muitas horas nele investido, não podia deixar passar em branco a indicação que era a Porto Editora a entidade produtora deste formato que torna os conteúdos programáticos acessíveis tanto a alunos cegos ou com baixa visão.
    Com os melhores cumprimentos
    Cristina Miguel

Páginas



5251 a 5260 de 5276