Está aqui

Ficou cego e quer ser guia turístico no castelo de Bragança

por Manfas Petrónio

Ficou cego e quer ser guia turístico no castelo de Bragança

A vida pregou uma partida a Norberto de Azevedo, que ficou recentemente
sem visão mas ganhou um novo alento numa paixão antiga pelo Castelo de Bragança.
Aos 80 anos, diz que gostaria de guiar turistas pelo emblemático monumento.
Norberto ficou cego, mas consegue ver que "falta alegria" ao símbolo da cidade de Bragança e alguém que mostre aos turistas a história e a importância do monumento, que considera estar "pouco divulgado. Não há ninguém que dê um folheto aos turistas, que explique o que representa esse castelo". Sente-se capaz de assumir o papel que falta e guiar
os turistas, com os quais já está habituado a falar, sobretudo espanhóis. "
Queria ser útil a este castelo", afirmou à Lusa, realçando que "seria com todo o prazer"
o guia turístico que falta e até trabalhava graciosamente, "se for preciso. Faria
esse trabalho apenas por arroz e feijão". A expressão brasileira ficou dos mais de
50 anos no Brasil, de onde regressou em Junho, meio ano após ter perdido a visão
devido a um problema de deslocação da retina. Vive agora na Cova de Lua, em Bragança,
com a irmã e o cunhado.

Publicado em 04 Outubro 2010
Fonte: Diário de Notícias Online

Comentários

Olá!

E porque não? Se o Norberto conhece muito bem o Castelo e até a sua história, não vejo qualquer impedimento! Talvez conheça o Castelo melhor que ninguém na cidade...Não haverá de certeza outro melhor que ele para!

Força, Norberto! Não desista do seu sonho!

Cumprimentos

Olá!

Tal como disse anteriormente a minha namorada, acho muito bem que o Norberto tome a avante com a sua iniciativa, visto que mais ninguém a quer tomar.

Não vejo problema em o Norberto ser guia turístico, porque conhece a sua terra e o seu castelo. Não é o ser cego que o vai impedir, mas sim a ignorância e o preconceito dos outros.

Um cego a guiar um normovisual não é nada estranho. O cego tem uma visão mental que é muitas vezes ignorada, e este é um desafio para lhes mostrar que o sentido da visão não é exclusivo!

E o Norberto foi corajoso, porque ao revés de ficar em casa a lamentar a sua cegueira, viu que ainda valia muito nos seus conhecimentos da cidade e em especial do castelo e da sua história riquíssima.

Força, Norberto! Conte comigo e com a Céu!