Está aqui

Visão Diferente - blog de jfilipe

Os sites em WordPress são acessíveis ?

por jfilipe

Olá amigos !
Já há algum tempo que não abordava assuntos relacionados com a acessibilidade web ! lol

O WordPress, é um CMS (Content Management System, ou em português, Sistema de Gestão de Conteúdos), mas existem muitos mais, no entanto, esse até à data é o mais popular e mais usado no mundo !
Quando falamos em WordPress, a primeira coisa que nos ocorre são os blogs, não admira, dado que a esmagadora maioria dos blogs são em WordPress ... !
No entanto, o WordPress também dá para fazer sites !
Básicamente o que distingue os sites dos blogs em WordPress, é que os primeiros têm páginas, e os segundos posts !
Podemos ter sites maioritáriamente com páginas, e também com alguns posts. Um exemplo prático, é se tivermos um item no menu de notícias, associado a uma categoria notícias, podemos fazer vários posts nessa categoria, em que cada 1 representa uma notícia !

Quando se pensa em desenvolver um novo site, existem básicamente 2 hipóteses:
Ou se faz o trabalho todo à mão, como já falei neste post
http://www.lerparaver.com/node/9712
Ou se usa um CMS como o WordPress
A diferença, é que pela segunda hipótese, dá muito menos trabalho !

Agora a questão que se põe é a seguinte:
Será que os sites em Wordpress são acessíveis ?

Há dias, eu pesquisei na Net, encontrei este arigo interessante do nosso amigo Rui Cruz
http://www.ruicruz.pt/o-wordpress-come-acessibilidade-ao-pequeno-almoco....
E pelo que entendi, desta e de outras pesquisas, é q acessibilidade destes sites, depende do tema / template adoptado / desenvolvido, e pelo que dizem, os temas aprovados pelo WordPress são em boa parte acessíveis, mas nem todos ... !

Alguns sites avalidados com o Hera (quantidade de erros):
1. http://www.linuxacessivel.org/ - 10 erros
2. http://www.residencialpaineirasbh.com.br/ - 9 erros
3. http://lifeandtimes.com/ - 9 erros (surpreendeu-me porque a interface não é nada simples ! lool )
4. http://www.pblog.com.br/ - 5 erros
5. http://pinupgirlproducts.com/ - 7 erros (usa flash)

Estes são porém alguns exemplos ... existem muitos mais .... !
Bom, a discussão está aberta, gostaria de saber a opinião de todos vós, e também criar um espaço de partilha de ideias, de opiniões, para que possamos sair daqui mais enriquecidos ! ;-)

Comentários

De facto o WordPress detem alguns problemas porque está pensado e desenvolvido para ser o mais fácil possivel a todos aqueles que não tem conhecimentos de programação e muito estruturado para as caracteristicas de um blog.

A par deste, existe outro CMS que é o Joomla. É actualmente, um dos mais utilizados a par do WordPress, desconhece-se qual está a ser mais utilizado, dado que não se consegue apurar com certezas quantos por ai existem.

Tal como o WordPress permite fazer sites, (mesmo assim com algumas limitações), o Joomla permite fazer blogs com todos os recursos, agora requer é outro tipo de conhecimentos. Não precisa ser formado mas tem de ser um utilizador de informática mais avançado para que consiga fazer algo.

Com o Joomla pode-se construir tudo o tipo de plataformas (sistes, blogs, portais, lojas, ...) com total acessibilidade.

Olá Gaspar !

Antes de mais nada, obrigado pelo teu comentário ! loool

Ok, eu também conheço o Joomla, e sei q tá mais preparado para sites, ao passo q o wordpress mais para blogs !
Mas também acho q a manutenção (backoffice) do WordPress é bem mais intituitiva do q a do joomla !
Tb ouço falar muito bem do drupal, e acredito que seja bom !

Mas aqui a pergunta chave é: O Joomla é totalmente acessível ? Ou só nalguns sites ?
Já agora mais uma: Será q o Wordpress é mais acessível em média do q o Joomla ? Ou será ao contrário, ou ela por ela ?

Abraços

A acessibilidade de um gestor de conteúdos depende de 2 factores, do gestor propriamente dito e do template usado.

Neste momento qualquer um dos cms wordpress, joomla ou drupal apresentam preocupações de acessibilidade, embora no joomla essa preocupação é mais recente, e não sei se já abrange o backoffice.

O facto de um cms dizer que se preocupa com a acessibilidade não significa que seja tudo acessível, ainda para mais que depende do nível de acessibilidade que se pretendem atingir e de interpretação de algumas normas.

É normal um cms dizer que cumpre o nível A ou AA, mas ao passar num validador não passa tais níveis, mesmo com uma instalação padrão e template pré-definido.

De todo o modo, mesmo que o cms seja totalmente acessível, e que aconteça o mesmo aos templates pré-definidos, o certo é que se forem usados templates inacessíveis ou se forem feitas alterações a um template acessível que não respeitem a acessibilidade, é possível ter um cms acessível mas um site inacessível.

Para além disso, os módulos/componentes/extensões que se podem acrescentar aos cms, podem não respeitar a acessibilidade.

O conteúdo também é importante. Um site pode respeitar todas as regras, mas se quem colocar o conteúdo o fizer violando regras de acessibilidade, a página deixa de ser acessível. Aliás, este é um dos problemas principais em páginas institucionais. Muitas vezes há a preocupação de acessibilidade ao elaborar uma dada página. Quando é lançada é totalmente acessível, mas depois com a inclusão de mais conteúdo a acessibilidade vai-se embora.
Nos sites institucionais intervêm muitas pessoas e tipos de profissionais, os programadores, os designers, e os que inserem o conteúdo. Basta um deles não conhecer as regras básicas de acessibilidade para haver problemas.

Em suma, estes 3 cms são por princípio bastante acessíveis, mas tudo depende de como forem usados. Além disso, se quisermos uma página verdadeiramente acessível, por certo que se tem de fazer alguns ajustes aos templates.

O CMS (content management system) é um gestor de conteúdos para a Web. Ou seja, é um programa feito numa linguagem de programação como php, asp, jp, piton, que é instalado em servidores Web e tem como função facilitar a publicação de conteúdos Web.
O Lerparaver é feito no CMS Drupal.
No Lerparaver qualquer utilizador pode publicar um leque diverso de conteúdo, sem que perceba nada de html ou outra linguagem.

Actualmente, tirando as páginas mais simples, a maior parte das outras são feitas num qualquer cms. Qualquer servidor de blog, jornal tem de assentar num CMS por exemplo.

Neste post temos falado de 3 dos CMS gratuitos e de código aberto mais usados actualmente. Existem muitos outros gratuitos, outros pagos, e muitos que são desenvolvidos para um site em concreto.

A acessibilidade de um CMS é um tema importante. Se como disse a maior parte das páginas são desenvolvidas em CMS, e muitas vezes por pessoas que nada percebem de html e afins, se for usado um CMS acessível, provavelmente sairá uma página mais ou menos acessível. Mas se o CMS não for acessível, então certamente as páginas feitas nele também não o serão. Ou seja, garantir que os CMS são acessíveis é um passo necessário e bastante importante para que a Internet também o seja.

Olha, eu não fazia ideia q o Lerparaver, um site perfeitamente acessível, era feito em Drupal ! loool
Pensei q fosse feito à lá pata, ou seja de raiz à mão ! loool
Já ouvi falar muito bem do Drupal. mas até ver nunca trabalhei com ele !
Já trabalhei com Joomla, e com Wordpress, com Drupal ainda não ! lool

Optaram pelo Drupal por que razão ?
Quais foram os truques / passos q seguiste para tornar este site tão acessível ?

Claro, é importanto num primeiro passo garantir a acessibilidade do CMS, e só depois passar as passos seguintes !
Dava realmente um bom título para um post ! lool

Inicialmente o Lerparaver era feito em páginas html e com um design demasiado simples, e só eu e o António pudíamos publicar conteúdo.
Permaneceu assim uns 5 anos.

Nessa altura achamos que era tempo de mudar. E um gestor de conteúdos seria a solução mais simples, rápida e eficaz.

Centramo-nos em cms gratuitos e em PHP. Vimos os 3 que estamos a falar por serem constituídos por grandes comunidades o que garante o futuro da ferramenta. O Joomla foi logo excluído por não ser na altura acessível, o wordpress parecia bom mas era mais orientado para blogs. O drupal parecia ter o que necessitávamos. Um cms suportado por uma grande comunidade, suporte multiling, respeito de regras do w3c, modular e escalável.

Até ao momento não nos arrependemos da decisão tomada, mas como en tudo na vida, nada é perfeito, uns CMS são melhores numas coisas outros noutras.

Depois pegamos no template base e alteramos dezenas de coisas, por forma a cumprir melhor as regras de acessibilidade e a tornar a navegação mais simples. A principal alteração que fizemos e que diferencia o Lerparaver em relação a maior parte dos sites, foi a alteração da ordem pela qual as colunas são lidas por leitores de ecrã. Normalmente as colunas são lidas da esquerda para a direita. No caso do Lerparaver é lida primeiro a coluna da direita, a do conteúdo e só depois a esquerda. Desta forma sempre que se abre uma nova página a primeira coisa que é lida é o novo conteúdo.

Mas como em tudo na vida, nada está concluído, temos previsto melhorar a acessibilidade/usabilidade/funcionalidades do Lerparaver nos próximos tempos.

Realmente tinha essa ideia q o lerparaver era inicialmente um site simples !
Mais tarde senti algumas ou mesmo basntantes diferenças, se calhar deve-se à migração para o Drupal .... ! lool

De 5 anos para cá as coisas mudaram imenso, o WordPress agora tb dá pra fazer sites, o Joomla tem-se preocupado com a acessibilidade, e o backoffice tá diferente .... !
Em 5 anos muda mta coisa, pra melhor, e ainda bem ! loool
A tecnologia não para !

Olha, gostava que me explicasses como é q alteraste a ordem de leitura das colunas, sem trocar a ordem visual ... ! lool
Realmente, esse é um truque de mestre, daquelas pequenas grandes coisas, q melhoram a acessibilidade !

Claro, de tempos em tempos, há q dar outro rosto, melhorar diversos aspectos ... !
Olha, uma coisa q acho q se podia melhorar, sem prejudicar a acessibilidade é por exemplo a apresentação dos menus, tá no meu ponto de vista bastante básicos, mas com um bocadinho de css, conseguirias transformar em menus mais interactivos sem prejudicar nada !

Olha por exemplo nos menus deste site, de um trabalho de um curso de produção de págs html avançado
http://users.med.up.pt/jfilipe/solinfortux/index.html

Os leitores de ecrã lêem a informação pela ordem que ela surge no código html. Com posicionamento em CSS pode-se fazer com que a ordem que surge no html não seja a que surge no ecrã. No caso do Lerparaver surge primeiro no html a coluna da direita e depois a da esquerda.

As alterações que estão previstas para breve não inclui alterar o template, embora alguns ajustes possam ser feitos. A médio prazo, será estudado a alteração do template para um mais moderno. Este já é o segundo template que usamos desde que mudamos para o Drupal.

Bem visto, bom truque ! loool
Já vi o código html e confirmei ... !
São estes pequenos grandes truqes q fazem a diferença .... !

Quanto ao template, isso tem tempo ! loool

Obg pelas dicas !
Abraços

Olá Daniel !

Em primeiro lugar, quero agradecer pela amabilidade em teres comentado este post importante no domínio da acessibilidade !

Os 3 CMSs mais populares e conhecidos são o WordPress, o Joomla e o Drupal, e pelo q li do wordpress parece q é bastante acessível !
A mim para já até não me interessa muito a acessibilidade do backoffice, uma vez q serei eu e um colega normovisual, a gerir os conteúdos !
Interessa-me e muito enquanto site ... !
Embora o backoffice do joomla requer conhecimentos mais avançados, principalmente quando escolhemos e instalamos um template, temos q pôr os módulos nas posições abrangidas pelo template ! Já o backoffice do Wordpress, acho bem mais simples !

Quais destes 3 CMS é no teu ponto de vista mais acessível ?
Eu penso q a nível de acessibilidade, tão mais ou menos ao mesmo passo ... !

E porque é que isso acontece ?
Ou seja, porque é q 1 cms cumpre os níveis A e AA, mas não passa no validador como tal ?
Haverá um validados mais eficaz para CMSs ?

Claro, eu sei q acessibilidade, depende e muito dos templates que se usa !
Se o template fôr inacessível, lá se vai a acessibilidade .... ! :-(
No entanto, eu penso q se tiver a preocupação de escolher um template acessível, mais parecido com o q se quer, e depois se o personalizarmos, poderemos melhorar substancialmente ao mesmo tempo a acessíbilidade e a estética ... !

Também devemos ter cuidado na escolha dos módulos, de forma a garantir q são acessíveis !

Quanto ao conteúdo é q eu não percebi lá muito bem ... ! :-(
Se eu acrescentar uma página aparentemente com html simples, com um bold ou italico, um link ou outro .... em q aspecto é q poderá ser inacessível ?
Ainda por cima se quando definires o templates, escolheres uma determinada formatação para os textos (ex: font-family: Arial ...), incluindo os links .... !
Em q é q a página poderá ser inacessível ?

Abraços

Olá jfilipe,

Dos 3 o que conheço bem é o Drupal, dos outros instalei uma ou duas vezes cada um e vou lendo algumas coisas.

O Wordpresse e o Drupal desde o início preocuparam-se mais em respeitar as directivas do W3c, o que inclui regras de acessibilidade.

O joomla e essencialmente o que o precedeu, o manbo, tinham menos preocupações a esse nível e questões estruturais que dificultavam a acessibilidade. De todo o modo, a equipa que actualmente coordena o joomla começou-se a preocupar-se mais com o código, com o cumprimento das regras, com a escalabilidade e com a acessibilidade. Não sei qual é o ponto actual da acessibilidade do backoffice do joomla, mas se tiver problemas, certamente será resolvido nas próximas versões.

Qual destes 3 é o mais acessível, não sei, nunca fiz tal comparação. De todo o modo qualquer um deles é um bom ponto de partida para fazer uma página acessível. A escolha deve recair mais em para que se quer a página, qual a dimensão e utilizadores que vai ter e qual os conhecimentos de programação.

Isto da acessibilidade nunca está terminada, O drupal já é acessível desde o início, contudo em todas as versões é melhorado o cumprimento de algumas regras, e num caso ou outro anda para trás!

Quanto a um cms dizer que cumpre o nível tal e não passar num validador.
O principal motivo é porque na realidade não cumpre tal nível. Os programas de código aberto tem imensas vantagens mas também algumas desvantagens. A principal desvantagem resulta do facto de que como colaboram centenas de pessoas diferentes, muitas vezes é impossível garantir que tudo fica perfeito, e só uma pequena parte dos programadores é que tem conhecementos profundos de acessibilidade. Além disso, os validadores não são todos iguais, podem testar as regras de forma diferente. Por vezes também é possível interpretar as regras de forma diferente.

De todo o modo, se a pessoa tiver alguns conhecimentos

Quanto aos conteúdos pode haver vários erros de acessibilidade. Pode ser colocado conteúdo em flash, inserir imagens sem texto alternativo, inserir código html errado, inserir formatação sem usar css, colocar uma lista de elementos sem usar a tag ul, colocar cabeçalhos de forma errada, não indicar as mudanças de idioma, etc.

Olá Daniel !

Quando os CMSs se preocupam com a acessibilidade, isso é realmente bom, e todos saímos a ganhar !

O Joomla, mudou imenso da versão 1.5 para a 1.7 a nível de backoffice, há dias tava a ajudar um colega, e como tá bastante diferente, e já há algum tempo q não trabalho com ele, tive alguma dificuldade, mas depois rápidamente apercebi-me das mudanças !
E o facto de se preocuparem mais com a acessibilidade é bom !

Ok, concluo então, que posso adoptar um desses 3 CMSs, talvez esteja mais inclinado para o WordPress ! loool

Claro q a acessibilidade web, é uma luta contíbnua, e ainda há muita coisa por fazer .... !
Cabe a nós, fazermos a nossa quota parte de sensibilização para melhorar a acessibilidade web !

É pena que não hajam mais programadores com conhecimentos profundos de acessibilidade ! :-(
Conheces validadores em média mais eficazes do q o Hera ?
Pois já vi, que não é possível testar a 100% a acessibilidade de um site usando um CMS .... !

Quanto aos conteúdos, flash esquece, imagens muito poucas ou inexistentes !
A ideia que eu tenho, é no template usar ao máximo o css para formatar o template, respeitando as normas de acessibilidade, e incluir no css formatação uniforme para todos os textos / conteúdos !
Sendo assim, nos conteúdos só teria texto simples, , partes do texto a negrito, itálico e sublinhado, algumas listas e pouco mais .... !
Resumindo, é mais à base de textos !
Não pretendo usar muita formatação nos textos, bem pelo contrário, evitar de usar formatação, e aplicar o css do referido template !
Penso q assim fica acessível, não ?

No entanto, depois mais na altura, terei q estudar algumas coisas, tais como essa coisa dos idiomas, teclas de acesso ... !

Olá,

Não conheço o Hera.
Os testes que procuro fazer são os que se podem encontrar, por exemplo, no fundo da pagina da ACAPO - http://www.acapo.pt/

Olá Filipe,

Como sempre o Daniel dá grandes contributos, claros e esclarecedores e desta vez também não fugiu à regra. Talvez repita alguma coisa que o Daniel referiu, mas após ler tanto comentário a informação já não fica toda na memória mais recente!

1. A acessibilidade Web não se destina apenas a pessoas com deficiência, mas a todos os utilizadores de internet ou materiais digitais

-Imagina uma pessoa que utiliza um portátil de 10 ou 19 polegadas e acede a um Site com medidas absolutas. Essa pessoa não terá acesso à informação, pois não poderá diminuir ou aumentar o conteúdo de acordo com as suas necessidades;
- imagina um utilizador que por qualquer motivo não pode utilizar o rato e vai parar a um Site, cujo único meio de avançar a introdução do Site é um elemento MouseOver;
- Imagina que estás no local de trabalho e apetece-te fazer uma pausa e fazer uma pesquisa... Entras num Site com uma música de entrada em altos berros e sem nenhuma forma de desligar, e que azar, não tens auscultadores e o patrão está à tua frente.... Certamente não acharias graça!

É claro que a Internet trás mais benefícios para as pessoas com deficiência, mas beneficia todos os utilizadores. Estes são apenas alguns dos muitos exemplos que explicam por que é que a acessibilidade não se destina apenas a pessoas com deficiência.

2. A avaliação da acessibilidade não é só pegar em meia dúzia de pessoas cegas e ver se o Jaws ou o NVDA lêem a informação

A avaliação de acessibilidade requer várias coisas, como:

  • - Conhecimento profundo das regras de acessibilidade e, se possível, de HTML e CSS;
  • - Utilizar pelo menos dois leitores de ecrã;
  • - Utilizar pelo menos dois avaliadores de acessibilidade automáticos;
  • - Utilizar Browsers gráficos e só de texto;
  • - Fazer uma avaliação de acessibilidade manual pormenorizada, cuidando que:
    • - A estrutura de cabeçalhos do Site está correcta;
    • - Todas as imagens contém uma descrição apropriada;
    • - Todos os avisos dos avaliadores são revistos e não são ignorados;
    • - O contraste entre a cor de fundo e do texto e o nível de brilho das cores são suficientes;
    • - No Site da UMIC há mais!
  • - Ter noção que um Site é visitado por públicos bastante diversos e através de diferentes dispositivos e todos devem conseguir ter acesso ao Site;
  • - Entre outros...

3. Avaliadores e ferramentas automáticas de acessibilidade

Relativamente aos avaliadores automáticos vão aqui dois que avaliam segundo as WCAG 2.0:
http://www.totalvalidator.com/validator/Validator
http://www.umic.pt/accessmonitor/

e uma ferramenta que indica erros de semântica do Site e mais alguns pormenores, mas ainda com base nas WCAG 1.0:
http://wave.webaim.org/

4. Agora a escolha do CMS

Só para baralhar vou indicar mais um que, ao que parece, é utilizado por grandes Sites:
www.plone.org

Ainda não tive oportunidade de explorar a fundo, mas parece-me que quer o resultado, quer o backOfice são acessiveis. Contudo pelo contacto que tive com o Drupal pareceu-me que era mais intuitivo e fácil. Talvez seja uma questão de hábito.
Mas concordo com o Daniel, se já conheces bem o Wordpress... força!

5. Fonte e alinhamento

No exemplo que deste com a palavra negrito, apercebi-me que a fonte utilizada era bastante pequena e que o alinhamento era justificado. Estas são duas regras de acessibilidade que devem ser tidas em conta e que passam bem despercebidas. Por um lado, não nos podemos esquecer que há cada vez mais pessoas mais velhas a utilizar o computador e naturalmente a visão já não é o que era; Por outro lado, a utilização de alinhamento justificado (à esquerda e à direita) dificultam a leitura a pessoas com problemas cognitivos, com dificuldades de leitura e com baixa visão. Nestas regras são incluídos ainda o espaçamento entre linhas e a quantidade de caracteres por linha.

Site da Fraternidade

Pelo que percebi a página da fraternidade está construida com Frames. Só aqui já pecas por não utilizar o atributo title da Frame!
Não tem cabeçalhos e mais uma série de pormenores!
Faz o teste com o accessmonitor, mas não te assustes com a nota 4.1!
Experimenta leres o site com um leitor de ecrã e repara onde começa e termina cada Frame!

Como vês a acessibilidade não é uma tarefa simples!
Para além das regras do W3C ainda devemos ter em atenção os padrões de acessibilidade Web, a usabilidade e algumas coisas mais!
Mais informações sobre padrões de acessibilidade em:
www.webstandards.org

Abraço,
NSousa

Olá Norberto !

Em primeiro lugar quero agradecer pelo teu comentários, os teus links de grande interesse, e pelas dicas ! loool

1. acessibilidade pra todos

Claro q sim, com a acessibilidade todos beneficiam, mesmo a nível de indexação no google .... !
Uma das preocupações será a optimização para ecrãs mais pequenos como tablets, smartphones .... !
E tb de tal modo q seja acessivel a toda a população !

2. Avaliação da acessibilidade

Eu tenho um profundo conhecimento de HTML, CSS, e em boa parte das regras de acessibilidade !
Claro q o tal grupo deve ser bastante diverso, com diversos leitores de ecrã e sistemas operaticos, e abrangendo outras deficiências q não só a visual !

4. O Plone pareceu-me mto bom ! loool

5. Fontes

Ok, não ligues demasiado à mensagem de resposta, eu nem sequer alterei a fonte ! looll
É minha intenção incluir os 3 clássicos botões aumentar fonte, diminuir fonte, fonte normal ... !
Infelizmente a população tende a envelhecer .... ! :-(
Não pretendo pôr grandes textos, mais sim textos curtos, obviamente espaçados !
Só não percebi essa questão do texto justificado .... ! :-(

Site actual da Fraternidade

Olha, quem criou o site da Fraternidade não fui eu, mas sim o webmaster da ecclesia, só mto depois é q eu peguei nele, só pra acrescentar conteúdos nada mais !
E este novo site é precisamente para por um lado dar um novo rosto (o actual já tá gasto), mas também para torná-lo mais acessível !

Quanto a saber se é o drupal ou o joomla a ter mais templates acessíveis, não sei, mas não posso afirmar que seja o drupal.

Conheço mal o Joomla e não sei que funcionalidades pretendes que o si te tenha, para poder aconselhar qual seria o melhor cMS para o teu caso em concreto. Na teoria o Drupal é mais flexível, mas em regra maior flexibilidade implica mais trabalho e tempo para construir um site. O Joomla é mais instalar e usar, no drupal é mais necessário recorrer a módulos extra. Para quem não percebe de programação, o Drupal pode não ser a melhor opção, mas para ti isso não é um problema.

Quanto ao plone, não o conheço. Realmente parece vocacionado para grandes sites, e é criado em piton ao contrário dos que temos vindo a falar que são em PHP, o que potencialmente dá-lhe maior performance.

Em suma, acho que tens capacidade para te dares bem com qualquer escolha, pelo que o importante é escolher e avançar!

Olá Daniel !

Pois já vi q o Drupal é mais flexível, já sei q implica mais trabalho, mas não faz mal ! loool
De qualquer modo obrigado pelas dicas ! lool
E logo que tiver oportunidade vou tentar explorar o Drupal !
Depois logo decido se avanço com o Drupal ou opto pelo Joomla !
Mas em principio tou mais pelo drupal !

Abraços

Sim, os CMS estão sempre a evoluir.

O joomla e o drupal tem tido uma evolução bastante convergente

O joomla era uma ferramenta mais fácil de usar mas menos flexível e menos potente, o Drupal era uma ferramenta muito potente e flexível mas em que era necessário ter conhecimentos de programação para poder aproveitar essa flexibilidade. Actualmente o joomla está mais de acordo com as normas e é mais flexível, e o drupal é mais fácil de usar por iniciantes. Devido a estes motivos o Joomla é claramente mais usado que o Drupal, mas em média o drupal é usado por sites maiores e mais complexos.

Se tu conheces melhor o wordpress que os outros, então em princípio não tens porquê mudar.

O Era é um bom validador, mas cada validador é diferente. Em www.acesso.umic.pt tens 3 validadores, um valida de acordo com o WCAG 2.0. Não te esqueças e que os validadores apenas conseguem validar parte das regras, o resto tem de ser manualmente.

No WCAG 1.0 mesmo os bolds e itálicos deviam ser utilizados com classes css, no WCAG 2.0 não tenho a certeza.

Pois, já houvi dizer q o Drupal é bastante potente ;-)
Eu até ao momento conheço o joomla e o wordpress ... !

Eu penso q qualquer um deles dá pra fazer um site, ou recomendas mais um deles para fazer sites ?

Obrigado, realmente esses três validadores são muito bons, mas eu gostei mais do Access Monitor, suporta WAG 2.0 e é bastante detalhado, mas qualquer um deles é bom ! lol
Como é q validas as regras manualmente ?
Só se tiveres um profundo conhecimento das regras WAG 2.0, e se vires alguma coisa q não esteja em conformidade, mudas, é isso ?

Achas q é preferível ter algo do género
negrito
do q ter
negrito ?

Na teoria para um site não blog, o Joomla ou o Drupal são mais adequados. Contudo para sites não muito complexos o wordpress serve perfeitamente.

Desta forma, se achas que o wordpress permite fazer tudo o que pretendes para esse site, então acho que é preferível usá-lo do que perderes tempo a trabalhar com outro CMS que não conheces tão bem.

As regras que não podem ser validadas automaticamente, terão de o ser manualmente, tendo de as conhecer é claro. De todo o modo, se um site passar nas validações automáticas de mais de um validador, já não é nada mau.

No entanto, os validadores devem ser usados com espírito crítico. Um validador até pode dizer que um site cumpre as regras, mas não as cumprir na realidade. Por exemplo, um validador automático valida se uma imagem tem a etiqueta alt, contudo não é capaz de saber se o alt é adequado ou não à imagem. Deste modo para se fazer uma página acessível não basta passar um site num validador, tem de se perceber a lógica das regras que estão a ser avaliadas.

Quanto ao negrito é isso mesmo.

Olá Daniel !

Ok, já vi q o wordpress dá pra fazer sites, mas só mesmo para sites mais simples, para sites mais complexos não serve !
Então, dos q restam: Joomla ou Drupal, qual é q me aconselhas ?

Pelo q já se disse, o joomla tem feito um esforço e tem melhorado bastante a nível de acessibilidade tanto a nível de front e back office !
Por outro lado, o Drupal é muito robusto, modular, de modo a poder modular o site do modo que quiseres e tem imensos templates !

Eu tenho consciência q a nível de Drupal conheço muito pouco, mas tb tou convecido q aprendia num instante, dada a grande quantidade de documentação, vídeos, .. na net !
E tenho mto boas refer?ncias do Drupal ! lool

Claro, que acima de tudo devemos conhecer bem as regras de acessibilidade !
Por falar nisso, conheces algum site q explique bem essas regras com exenplos ... de modo a que seja simples de entender ??
Claro q os validadores não cobrem tudo, por isso é q esse tal grupo de cegos a testar o site era e é importante, e com vários leitores ecrã .... !

Obg pelas dicas q me deste até ao momento ! loool
Abraços

Eu não disse que o wordpress era má opção. Tu que conheces bem o Wordpress é que sabes se ele faz o que necessitas para o site que pretendes criar, eu arriscava a dizer que sim.

Quanto a joomla vs drupal, se conheces melhor o joomla eu arriscava dizer que seria a melhor opção para ti entre os 2. Não acredito que necessites de tanta escalabilidade e performance para compensar aprenderes do 0 o Drupal, mas qualquer opção é boa. Quanto a templates, o drupal tem bastantes, mas o Joomla tem muitos mais, fruto de ser mais usado. Um outro factor que pode influenciar, o drupal tem imensa documentação mas quase toda em inglês, as comunidades em língua portuguesa são fracas. O joomla tem mais documentação em português.

O grupo de cegos a testar acessibilidade é importante, mas não te esqueças de um aspecto, os cegos são apenas um dos públicos alvo das regras de acessibilidade. As regras de acessibilidade visam a que qualquer pessoa, com qualquer limitação, possa aceder a uma página com qualquer browser e com qualquer equipamento em quaisquer condições de iluminação e som envolvente.

A acessibilidade 100% universal é possivelmente uma utopia, mas devemos ter noção do objectivo final para podermos aproximarmo-nos o mais que pudermos dele.

Um ponto de partida são sempre as regras de acessibilidade, actualmente as WCAG 2.0, depois se tiveres alguma dúvida uma pesquisa no google pode ser muito útil.

Ok, nem eu digo o contrário, mas já vi q o wordpress funciona bem em blogs e sites simples ... quando partes para algo mais complexo já não serve !

Eu sou um bastante exigente, e claro q gostava de um site super acessível, com escabilidade e performance ... ! loool
O Joomla pode ter muitos templates, mas tb é verdade q muitos deles são perfeitamente inacessível, ainda há dias vi-me à nora pra ajudar 1 amigo, pois ele tava a usar um template inacessível com mto pouca ou quase nenhuma info !
Aqui a questão não é ter mais, mas sim ter mais templates acessíveis, ou pelo menos minimamente acessíveis !
Eu tou á vontade com o inglês, por isso não terei qualquer dificuldade com isso ! loool
Dado isto, achas q ainda seria melhor usar o joomla ? ou talvez o drupal ?
Além disso é sempre bom alargarmos os horizontes ! lool

Sim claro, q é importante, mas isso seria numa fase inicial !
Numa segunda fase, ou mesmo a par, pretendia envolver outros deficientes (ex: paralesia cerebral) !

Claro q sim devemo-nos aproximar o mais possível da acessibilidade total, ou a 100% !

Olá !

O Site actual da Fraternidade é este
www.ecclesia.pt/fcd/

Todos estes comentários neste post, vão-me ajudar e imenso para criar um novo site e mais moderno, mas que preze ao máximo pela acessibilidade !
Até porque o q temos mais são deficientes visuais, com paralesia cerebral .... !

A minha ideia, mais prá frente é criar um grupo de amigos do lerparaver e/ou da Fraternidade, para ir testando o novo site a nível de acessibilidade !
Tornando deste modo o site o mais acessível possível !
Em q a interação entre o tal grupo seja grande, de modo a que haja bastante feedback, e desse modo a melhorar o site !
Mas pra já ainda é cedo ! lool