Está aqui

Áudio-descrição: Opinião, Crítica e Comentários - blog de Francisco Lima

Homenagem Mais do que Justa ao Grande Alex Garcia

por Francisco Lima

Prezados,
Partilho com vocês mensagem que troquei com Alex Garcia, um dos grandes batalhadores por uma sociedade inclusiva, a respeito do reconhecimento que ele teve, em celebração da Revista Reação, a qual merece os parabéns também.
Fiquem com a mensagem,
Francisco Lima
" Alex,
Muito merecida a homenagem!
Enquanto uns estão por aí, meramente porque são apadrinhados políticos, vocês está porque tem valor.
Meus redobrados e efusivos parabéns.
Continue falando contra os operários e dirigentes da indústria da deficiência, pois somos maiores que isso.
Cordialmente,
Francisco Lima
Agora, a homenagem:
AGAPASM
Associação Gaúcha de Pais e Amigos dos Surdocegos e Multideficientes
www.agapasm.com.br
Alex Garcia foi homenageado nos 15 anos da Revista Reação
Em notável comemoração realizada no Memorial da América Latina, em São Paulo, na noite de 24 de outubro, que reuniu mais de 650 pessoas, a Revista Reação festejou seus 15 anos, e na oportunidade homenageou várias autoridades que colaboraram e aínda colaboram para que a Reação se tornasse a maior revista sobre inclusão e acessibilidade de Pessoas com Deficiência, mobilidade reduzida, familiares e profissionais do setor, tendo uma tiragem bimestral que ultrapassa os vinte mil exemplares e chega a todos os estados do Brasil e mais 15 países onde tem assinantes. Alex Garcia, que assina a coluna Espaço Aberto na Reação recorda que "a festa de aniversários da Revista Reação foi genial. Foi excelente rever amigos e amigas, irmãos de deficiência. Mais excelente ainda foi observar a alegria e acima de tudo a Revista Reação deu aula de como valorizar o empenho e o trabalho das pessoas. Nossa fé é imortal e quem sabe esta aula de valorização possa servir de exemplo às ‘autoridades’ da SECADI/MEC, da SDH, do CONADE e dos Conselhos Estaduais de Direitos das Pessoas com Deficiência, para que recebam uma luz divina e através de sua intelectualidade, que por certo é grandiosa, possam desenvolver metodologias de valorização do empenho e trabalho das pessoas. Destaco isso, pois acompanhei este ano bizarrices que assombram até mesmo o mais otimista dos seres humanos. E o ano nem acabou! Assim nosso país e as Pessoas com Deficiência poderão ter a certeza de que a opressão está perdendo forças. Que todas as categorias de Pessoas com Deficiência poderão ser valorizadas e não apenas as mais "fáceis", pois as Pessoas Surdocegas, as Multideficientes e as Pessoas com Doenças Raras também são Seres Humanos, ou será que não são? Que as consultorias sirvam para o desenvolvimento e não para mera pirotecnia. Que as ‘escolhas’ estejam fundamentadas na contribuição histórica para o movimento e não pelas trocas de favores que nasceram ontem, e que o Nada Sobre Nós Sem Nós possa se tornar, de fato, ‘Verdadeiro Poder’ e não ‘Falso Poder’ como acompanhei recentemente em muitas ocasiões. Sabem? Na Festa de Aniversário, 15 anos, da Revista Reação, observando de meu modo, tendo minha surdocegueira como eterna companheira, toda a valorização alí, em vida, recordei de Nelson Cavaquinho que dizia 'Sei que amanhã. Quando eu morrer. Os meus amigos vão dizer. Que eu tinha um bom coração. Alguns até hão de chorar. E querer me homenagear. Fazendo de ouro um violão. Mas depois que o tempo passar. Sei que ninguém vai se lembrar. Que eu fui embora. Por isso é que eu penso assim. Se alguém quiser fazer por mim. Que faça agora. Me dê as flores em vida. O carinho, a mão amiga. Para aliviar meus ais. Depois que eu me chamar saudade. Não preciso de vaidade. Quero preces e nada mais'. Enfim, valorizar a vida e ser valorizado em vida, situações bastante desconhecidas em nosso país, mas devemos manter nossa fé inabalável e sonhar, pois sonhar é projetar o futuro, e mais uma vez Parabéns à Revista Reação"! Já para Rodrigo Rosso, diretor da Revista Reação, Alex Garcia é “mais que um colunista da revista, é um amigo querido que aprendemos a admirar pelo seu trabalho árduo, caráter e competência. É uma honra ter nas páginas de nossa publicação, à cada edição, artigos tão bem escritos por ele e tratando de um tema tão importante e polêmico, como é a surdocegueira no Brasil. Alex tem o dom da palavra, quando muitos na mesma situação que ele, nem sequer tiveram a oportunidade ou a condição de aprender a falar... Ele tem o dom do discernimento, quando muitos na mesma condição que ele, nem sequer conseguem ouvir... Alex enxerga longe, tem o dom de modificar o presente para ajudar a construir um futuro melhor, quando outros em sua mesma condição, nem sequer podem ver. Alex Garcia, é uma pessoa muito especial. Sua inteligência, sua força de vontade, sua alegria e garra para enfrentar a vida, mesmo com tantas limitações físicas, é um exemplo para todos nós, e torna esse filho de São Luiz Gonzaga/RS um orgulho, não só para a sua cidade e para o RS... mas faz dele uma pessoa que nos orgulha de sermos brasileiros!”. Além de Alex Garcia os demais homenageados foram: Andrew Parson, Presidente.do Comitê Paraolímpico Brasileiro, Cláudia Maximino, Presidente da Associação. Brasileira da Síndrome de Talidomida, Deputada Estadual (SP) Célia Leão, Deputada Federal Mara Gabrilli (SP), Deputado Federal Otávio Leite (RJ), Deputada Federal Rosinha da Adefal (AL), humorista cego Geraldo Magela, Dr. Geraldo Nogueira, advogado, RJ, jornalista Jairo Marques (Folha de SP), ex-jogador do Corinthians e da Seleção Brasileira Julio Cesar de Souza, hoje Pessoa Surda, a fotógrafa Kica de Castro, Maestro João Carlos Martins, Márcia Gori do movimento da mulheres com deficiência,, o ex-locutor esportivo Osmar Santos, o cartunista Ricardo Ferraz, o professor Romeu Sassaki, Steven Dubner (ADD), Dra. Linamara Batistella, entre outras autoridades e nomes de relevância para o universo da pessoa com deficiência no Brasil. A Revista Reação pode ser conhecida em seu site: www.revistareacao.com.br ou quem quer conhecer, também pode solicitar um exemplar de cortesia na Central do Assinante: 0800-772-6612. A ligação é gratuita para todo o Brasil.
Abraços e obrigado!
Alex Garcia
Pessoa Surdocega. Presidente da Agapasm. Coordenador do Núcleo Regional Rio Grande do Sul do Instituto Baresi. Escritor. Especialista em Educação Especial. Vencedor II Prêmio Sentidos. Rotariano Honorário - Rotary Club de São Luiz Gonzaga-RS. Líder Internacional para o Emprego de Pessoas com Deficiência Professional Program on International Leadership, Employment, and Disability (I-LEAD) Mobility International USA / MIUSA. Membro da World Federation of Deafblind - WFDB. Membro da Aliança Brasileira de Genética. Colunista da Revista REAÇÃO e do Portal Planeta Educação. Consultor da Rede Educativa Mundial - REDEM. Consultor Instituto Inclusão Brasil

Comentários

Caro Francisco Lima:

Fiquei muito orgulhoso por falar aqui do Alex Garcia, pois somos ambos surdocegos e amigos.

O Alex é para mim um grande exemplo de coragem e de superação, e uma pessoa maravilhosa, muito acessível e de um pensamento profundo.

Também quero aproveitar para o felicitar aqui, para que ele saiba que tem amigos que estão com ele na luta por uma sociedade verdadeiramente humana e fraterna, em que não exista discriminação, mas sim respeito pela pessoa na sua plenitude, não somente deficiente, mas como ser completo, com os mesmos sentimentos, valores, sonhos, direitos e deveres.

Alexx, se estiveres a ler esta mensagem, ganhaste um lugar no meu coração e que Deus te abençoe, que nunca te falte alento para elevares as vozes de milhares de pessoas que, como tu, também existem e que são esquecidos ou que vêem a sua liberdade "castrada" por uma sociedade dominadora e opressora dos mais desfavorecidos.

Nós os surdocegos e multidificientes continuamos a ser uma classe invisível e sem possibilidade de realizar os nossos sonhos... Muitos dos nossos irmãos surdocegos são congénitos, não falam como nós, não escrevem as suas ideias porque não conseguem pensar para além do concreto, nunca ouviram e não sabem o que se passa à sua volta, vivem sozinhos no seu mundo de noite e silêncio eternos, muitos vivem isolados sem contacto social, sem amigos, sem amor...

As pessoas não nos vêem como seres humanos; para elas, nós somos uma espécie rara, uns extraterrestres, uns debéis mentais totais... Porém, foi assim que ao longo da História nos trataram e continuam a tratar, fazendo da nossa vulnerabilidade uma forma de dominação, de manipulação e objecto de piedade. E temos de ser humildes, deixar-nos de vaidades, porque as nossas vitórias devem-se também ao apoio e carinho incondicionais da nossa família, dos nossos amigos, dos que acreditam em nós e daqueles que nos deram valiosos conhecimentos. Sem eles, não seríamos nada.

Finalizo desejando-te tudo de bom, que continues a ser alegre e empenhado numa causa universal, pois tudo o que se refere a ao bem da Humanidade nos diz respeito.

Abraços,

Marco Branco