Está aqui

robô cão-guia

por Tixa

O robô da NSK irá operar como se fosse um cão-guia de verdade.

Por Fernanda Morales Pessoas com deficiências visuais encontram diversos obstáculos para se locomover nas ruas das grandes cidades e a melhor opção para elas é ter um cão-guia. Mas o acesso aos cães treinados não é para todos e pensando em tornar mais acessível o sistema de locomoção, uma empresa japonesa desenvolveu um robô cão-guia.

O robô, que ainda não possui nome definido, foi desenvolvido e equipado para servir pessoas com deficiência visual como se fossem os animais de verdade.

De acordo com o TechCrunch, a NSK começou a trabalhar no projeto em 2005 e o novo modelo do robô cão-guia é capaz de atingir velocidade de 3,8 quilômetros por hora.

O robô cachorro possui quatro juntas nas quatro patas, permitindo que o protótipo caminhe como se fosse um ser humano. Ele ainda é equipado com câmeras e sensores para ajudar os humanos a caminharem tranquilamente e sem riscos.

E segundo o Plastic Pals, o robô foi equipado com sistema de reconhecimento de voz, permitindo que ele seja facilmente comandado, GPS e mapas.

A NSK planos de comercializar o protótipo em 2020 e até lá irá trabalhar para aprimorar os recursos e sensores do robô cão-guia.

Um vídeo produzido pela empresa mostra o robô cão-guia em ação e pode ser conferido no YouTube pelo atalho youtu.be/n5jckUTr-rU.

Comentários

Um robot-guia, com formato de cão ou outro que fosse adequado, poderá ser interessante, em especial para os que não querem/podem ter um cão-guia.

Esta investigação parece ter a consciência que é muito complicado desenvolver um robot guia, pelo que apenas prevêem lançar o modelo daqui a 9 anos.

Exercer a função de guia é um processo muito complexo, o cão-guia não segue apenas ordens, mas toma decisões de acordo com o que lhe foi ensinado e de acordo com o que foi aprendendo na sua experiência diária. Um cão-guia tem capacidade para resolver um problema que lhe surja na rua, mesmo que nunca o tenha visto, e normalmente toma a melhor decisão. Isto envolve um processo mental extremamente complexo que no mínimo será difícil um robot conseguir fazer.

Sendo assim, acredito que seja possível que venham a haver robots guia, mas ainda terá de haver muita investigação, testes e aperfeiçoamentos para que se possa lançar um produto que terá desde o início de oferecer mínimas garantias, visto que um erro de programação pode por em causa a segurança da pessoa cega.

Nota: Outra notícia com informações complementares.

Este é já o terceiro protótipo que os investigadores da fabricante japonesa NSK desenvolvem na tentativa de criar um cão robótico capaz de substituir os animais na tarefa de guiar cegos. Desta feita resolveram recorrer à ajuda de um acessório normalmente destinado aos videojogos, o Kinect.

O sensor de movimentos lançado pela Microsoft para interação com a consola Xbox 360 - e que entretanto a empresa já abriu ao desenvolvimento de outro tipo de aplicações - está a ser usado para servir de olhos ao robô.

As características do Kinect, adaptadas a esta finalidade, permitem ao cão robótico ter a perceção de fatores que até então lhe estavam vedadas, como sejam a profundidade de campo e a que distância se encontram os obstáculos.

Desta forma, o cão pode ajustar a sua rota e desviar-se de forma eficiente. Outro dos exemplos de atividades em que este protótipo demonstra evoluções face às suas versões anteriores é na capacidade de subir escadas, uma tarefa que agora desempenha com relativa facilidade e que modelos anteriores precisavam de vários minutos para desempenhar.

Embora continue a perder para um cão de verdade, sendo consideravelmente mais lento e menos ágil, o robô NR003 tem feito progressos importantes e a fabricante espera estar em condições de começar a comercializá-lo a partir de 2020. Enquanto a data não chega, disponibiliza o vídeo que ilustra algumas das capacidades do protótipo.

Fonte: http://tek.sapo.pt/multimedia/kinect_serve_de_olhos_a_cao_robotico_para_...