Está aqui

O écran táctil

por Manfas Petrónio

O écran táctil

Polímeros eletroativos investigados para abrir as portas da internet aos cibernautas cegos.

Nova pesquisa da Universidade do Estado da Carolina do Norte promove o desenvolvimento de um sistema de visualização baseado em polímeros eletroativos, que permite aos cegos tirar pleno proveito da internet e de outras aplicações do computador.
"Displays eletrônicos de Braile geralmente mostram apenas uma linha de texto de cada vez e caros demais para a erusão mecânica a que são sujeitos.
Neil Di Spigna e os seus colegas trabalham actualmente para desenvolver uma solução física para exibir uma página inteira emrelevo, de forma também a reproduzir as imagens em telas sensíveis ao toque, mapeando
efetivamente os pixels de uma imagem, e permitindo que a tela inteira em Braile represente
as imagens em pontos sensíveis ao tacto.
Os pesquisadores desenvolveram um conceito chamado de "mecanismo hidráulico e de
trava", materializado através dum sistema capaz de traduzir algumas imagens em volumes tácteis e que recorre a uma superfície sintética de polímero eletroativo resistente e mais barato, quando comparado com as tecnologias de visualização já disponíveis.
"Este material permitirá levantar os pontos a uma altura correta, para que eles possam
ser lidos", disse o co-autor do papel, Peichun Yang. "Uma vez que os pontos são erguidos,
um mecanismo de trava suporta o peso a ser aplicado pelos dedos de uma pessoa, conforme
os pontos são lidos. O material também responde rapidamente, permitindo ao leitor
percorrer um documento ou site da internet da mesma maneira".
"Esperamos ter um protótipo totalmente funcional do mecanismo dentro de um ano",
revelou Di Spigna.
O pesquisador Peichung, que é cego, afirmou que a leitura Braille é essencial para
permitir que as pessoas cegas encontrem emprego, ressaltando que todos estão otimistas
de que essa tecnologia vai dar ao cego oportunidades adicionais nesta área tecnológica.

Fonte: Isaude.net

Comentários

Olá!

As surpresas não páram nunca de nos surpreender, mas esta notícia surpreendeu-me particularmente, pois é mais um importante avanço na valorização do Braille e no acesso à informação visual através do tacto.

Muitos parabéns a Di Spignan e aos seus colegas pela iniciativa, muitas portas ir-se-ão abrir que antes era apenas um sonho irrealizável... As pess
oas cegas poderão sonhar mais alto, embora eu saiba por experiência própria que as tecnologias de ponta não estão ao alcance de todos pelo seu elevado custo... Mas se as instituições públicas, como escolas, bibliotecas e centros de formação colocarem à nossa disposição, isso jé ajuda muito e todos poderão usufruir dos equipamentos.