Está aqui

Congresso homenageia o bicentenário de Louis Braille

por joana belarmino

A Organização Nacional de Cegos do Brasil, ONCB, fará realizar, nos dias 24 e 25 de setembro, no auditório Nereu Ramos, da Câmara Federal em Brasília, o Seminário Brasileiro em Comemoração ao Bicentenário de Nascimento de Louis Braille, inventor do sistema de escrita das pessoas cegas (1809-2009. O evento, que tem como tema central, “O sistema braille, marco inicial da acessibilidade e inclusão”, reunirá, durante os dois dias, mais de trezentos participantes, entre autoridades ligadas ao braille em âmbito internacional e integrantes das diversas entidades nacionais filiadas à ONCB.
“Na ponta dos dedos, a construção de uma história
de independência e cidadania”. Este será o tema da Conferência Magna, que será proferida pelo Secretário Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, Ministro Paulo Tarso Vannuchi, a partir das 10 hs do dia 24. Ao longo dos dois dias,pesquisadores, educadores, técnicos, estudantes e usuários do sistema braille debaterão sua importância nas diversas áreas da vida das pessoas cegas.O reconhecimento internacional do sistema braille, a formação acadêmica e o mundo do trabalho para o deficiente visual, a sociedade da informação e o fenômeno da desbraillização,recursos tecnológicos e o sistema braille, são alguns dos temas que marcarão a programação, através de mesas redondas, palestras e debates.

HOMENAGENS
O evento também prestará homenagens a personalidades brasileiras que se destacam ou se destacaram na difusão do sistema braille.Dentre os homenageados, destacam-se os nomes da Professora Dorina Gouveia de Nowil, presidente Emérita da Fundação Dorina Nowil para Cegos, e do professor Adilson Ventura, expresidente da União Latinoamericana de Cegos, ex presidente do Conselho Nacional de Defesa da Pessoa com Deficiência, Conade. In Memoriam, também serão homenageados o professor Hamilton Garai da Silva, o professor Edison Ribeiro Lemos e o Doutor Victor Siaulys.
O objetivo maior do evento, segundo seus organizadores, para além da homenagem que o Brasil presta ao genial inventor do sistema braille, centra-se na mobilização das instituições governamentais, das escolas, dos educadores e dos órgãos de fomento, por uma política de valorização e reconhecimento desse sistema em relevo, como meio natural e direto de leitura e escrita das pessoas cegas, conforme preconizam a Convenção da Onu, a União Mundial de Cegos e todos aqueles que lutaram e lutam pela ampla cidadania desses indivíduos em todo o mundo.

AnexoTamanho
nota imprensa.doc29.5 KB