Está aqui

Blog de Sofia Santos

A importância do tacto

por Sofia Santos

O tacto é muito importante na nossa vida, principalmente para quem não tem visão. Nós, cegos, dependemos muito dele em várias situações tais como ler, reconhecer objectos e formas, etc. E quanto ao reconhecimento dos que nos rodeiam, será que o usamos?
Eu, pessoalmente, muitas vezes sinto curiosidade em saber qual é a fisionomia dos meus amigos por mim própria, ou seja, ver os traços gerais da pessoa tais como o rosto, o cabelo, etc. Mas sinto que existe algum preconceito em relação a isso, até eu própria o sinto, no sentido em que não me sinto à vontade para chegar ao pé de amigos meus, falo tanto de rapazes como de raparigas, e tocar-lhes no rosto, por exemplo pois começo a pensar que talvez eles próprios também não se sentem à vontade se eu o fizer. Muitas vezes as pessoas associam o toque a algo mais íntimo, com a excepção de massagistas, fisioterapeutas e outros profissionais. Mas, no meio de tudo isto, onde é que ficam as pessoas cegas? Todos os normovisuais trocam olhares, vêem a fisionomia uns dos outros e por vezes até olham para onde não devem. Lol. Mas tudo isso é tido em conta como algo comum e sem importância, diguemos assim. No nosso caso penso que a forma de pensar se altera. Somos ensinados de pequeninos a não mexer em nada porque é feio e tudo isto me faz crer que, ao tocarmos noutra pessoa, essa mentalidade se acentua ainda mais. Apesar da minha timidez, penso que todos temos direito a ver as pessoas que nos rodeiam da maneira como podemos, ou seja, através do tacto.
Com tudo isto, acho que todos nós deveríamos reflectir sobre este assunto e mudarmos de mentalidade. O tacto não é um tabu, é algo necessário para todos e ainda mais importante para quem não vê. Penso que todos nós temos o direito a conhecer o exterior das pessoas mas claro, sem abusos e nunca esquecendo que o mais importante não é o exterior mas sim o interior. Seria muito interessante e enriquecedor haver um debate sobre o tacto na nossa vida.

Comentários

Querida Sofia!

Eu sou amblíope, não preciso de te tocar para saber como és linda, embora não te conheça... eheheheheheheh! Mas o meu namorado não vê. Quando começamos a namorar, ele pôs-me essa questão! Claro que queria que ele me visse com as suas mãos! São os seus olhos...! Tem umas mãos macias e grandes ... são belas e "mágicas"...eheheheheheheh! O amor é mesmo lindo...loooool

Ele perguntou-me se podia também ver a Jéssica, a minha filha! A Jéssica sabe que ele não vê e que para ele a conhecer teria que lhe tocar. Ela entendeu e até achou graça! Correu tudo muito bem quando ela o viu pela primeira vez. Ela aceitou-o muito bem!!!

Eu não ponho nenhum problema ao meus amigos cegos, se me quiserem ver com as mãos! É a única forma de eles me conhecerem! E gosto muito dos meus amigos! A maior parte deles são cegos e tenho muito orgulho neles!!!

"OS DEDOS SÃO OS MEUS OLHOS!!!" Já dizia uma grande amiga: D. Maria dos Prazeres

Beijinhos para ti!!!

Céu Coelho

Olá amor e restantes!

Sem sombra de dúvida que o nosso tacto é tão precioso como todos os outros sentidos, mas nem sempre lhe é dado o devido valor e importância que tem na nossa concretização pessoal! Porque há quem atribua ao tacto um papel muito redutor, porque não é apenas o simples acto de tocar os objectos para os conhecer ou manusear! Não! Aliás, podemos beneficiar dele ao máximo no nosso dia-a-dia; mais do ler Braille, identificar objectos, orientar-nos em espaços fechados... podemos fazer uma imensidade de coisas inimagináveis.

Não o digo teoricamente, que isso é muito filosófico e esquece a técnica. É o conhecimento empírico que sustenta o meu discurso!

Algumas pessoas do lerparaver sabem que sou surdocego e que as minhas mãos são tão preciosas mas o mais precioso é saber usá-las proveitosamente. Teria muito para enumerar das vantagens do tacto, mas não é necessário, basta que reflictam na utilização que fazem dele diariamente e o que poderiam fazer ainda mais e melhor para o desenvolverem.

Beijos & abraços

Eu conheci a Jessica com as minhas mãos, que é uma criança linda, inteligente e doce como a Céu. Os cabelos sãos os mesmos, encaracolados e macios, o rosto de linhas suaves e simétricas, também macio e expressivo. Sai à mãe! eheheheheh

Para a Céu e para a Jessica não existe tabu nenhum em um cego lhes passar suavemente a mão pelo rosto. Quem pensa que tocar o exterior de alguém é um tabu deve ter uma mente fechada e achar uma coisa tão normal vergonhosa. A Jessica, que tem 7 anos, sabe que sou cego e aceita o facto muito bem, até brincámos, jogámos xadrez táctil, ela achou-me engraçado e não lhe fez confusão que eu lhe tocasse no rosto de menina laroca. É uma criança encantadora! Quando não sabia dela ela punha-me a mão sobre a sua cabeça ou tocava-me para que eu soubesse que estava ali.

Tenho certeza que a Jessica gostou de mim! O meu coração ela já conquistou naturalmente! Adoro crianças porque são das mais raras e belas alegrias da vida. O seu sorriso e coração puros dão cor e música à paisagem monótona do nosso viver.

A Jessica é uma criança alegre, adora os animais e a escola, é amiga de todos; é educada, dedicada e ajuda muito a Céu. Também é uma mulherzinha desenrascada e preocupa-se muito com a mãe, querendo sempre ajudá-la e até demais! eheheheheheh

A mim também me sabe ajudar, sobretudo em sítios que eu não conheço. E também se preocupa comigo, porque quando brincamos às cavalitas ela tem muito cuidado com o implante coclear que tenho na cabeça e orienta-me verbalmente.

As crianças são muito sensíveis e apercebem-se facilmente das diferenças, mas não são preconceituosas e cruéis como os adultos. É claro que também têm de ser educadas para encararem a diferença como fazendo parte da vida de todos nós. Mas para isso temos de sair do nosso egocentrismo e compreender o outro, tão igual e tão diferente de nós.

Não é tabu pedir educamente aos outros para lhes tocarmos, mas não me imagino a pedir a toda a gente permmissão para tal. Isto porque sou tímido e só toco poucas pessoas que me são mais chegadas, como a minha namorada Céu, a Jessica, o meu sobrinho André e a minha irmã mais nova Cátia. No entanto, quando quero mesmo muito tocar uma pessoa de quem sinto muita amizade e à-vontade, eu toco-lhe mesmo, nem que seja ao de leve. Eles não se importam, até levam isso com naturalidade.

Viva o tacto! Glória à Criação que tão generosamente nos doto Glória aos nossos antepassados que lutaram arduamente para que a humanidade pudesse evoluir! E glória ao Amor que faz da Sabedoria verdadeira e só inteligível pelo coração dos simples.u!

Olá Sofia e restantes !

Há pessoas q já não pensam assim, e ainda bem ! looool
Mas há outras pessoas, q têm a mente poluída, e associam isso a um acto sensual, sexo .... ! loool
Mas, é uma coisa q se tem de ir mudando pouco a pouco, com o nosso testemunho !

Olha, se eu tivesse aí, podias-me tocar à vontade ! looool
Idem aspas para Céu e Marco ! loool

Eu tb simpatizei mto com a Jéssica, ela é muito querida, tem um coração grande e puro, tem imensas qualidades .... sai à mãe ... quem sai aos seus não é de Genebra, né ? hehehe
Só não sai à mãe nalgumas coisa, tais como desmotivação, incertezas .... ! looool
Mas enfim .... não sei o q hei-de fazer mais à Céu para a animar e motivar, mas vai-se indo e vai-se vendo ! lool

Beijinhos & Abraços